PALAVRA DO PRESIDENTE

A Associação Médica do Rio Grande do Norte, originada em primeiro de agosto de 1931 por um grupo de notáveis médicos do estado, teve à frente desse movimento o Dr. Ernesto Fonseca, eleito em 22 de agosto daquele ano como o primeiro Presidente da denominada Sociedade de Medicina e Cirurgia do estado do RN, cuja posse da diretoria ocorreu no dia 30 de agosto de 1931, no salão de conferências do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

Esses notáveis médicos em reuniões na sede da SMC/RN, que por anos foram realizadas em uma sala no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, combateram o charlatanismo, projetaram e possibilitaram as construções de hospitais e maternidades, trabalharam e incentivaram a implantação do Serviço de Abastecimento de Água e Esgoto da Capital e coroaram o seu trabalho, décadas depois, com a fundação da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do RN.

Já na década de cinquenta com o advento da Associação Médica Brasileira, muitas Sociedades Médicas Estaduais se filiaram à recém fundada Associação, ocorrendo de igual modo com a Sociedade de Medicina e Cirurgia do RN, que alterou o seu estatuto e mudou o seu nome para Associação Médica do Rio Grande do Norte, a qual manteve-se fiel ao seu ideário de educação médica continuada, defesa profissional, proteção à população, combate a medicina de má qualidade e apoio aos órgãos públicos ligados ao assistencialismo da população.

Hoje, temos em nosso quadro associativo 1.172 médicos efetivos e oferecemos aos nossos associados programas de clube de vantagens, em parcerias com várias empresas regionais e nacionais. Ainda, disponibilizamos de uma assessoria jurídica e contábil para nossos médicos e mantemos cursos, simpósios e congressos, sempre em parcerias com as Sociedades de Especialidades, filiadas a AMB.

Todavia, apesar da ativa ação da Diretoria de Defesa Profissional em gestões anteriores, e do trabalho conforme recomendação da AMB, ainda assim, fomos acionados pelo CADE e tivemos um considerável prejuízo financeiro, além de uma extensa batalha judicial, que junto com a Pandemia do COVID 19 no ano corrente, fez-nos aproximar do encerramento das nossas atividades, o que só não ocorreu, devido a interferência financeira da Associação Médica Brasileira e de parceiros comerciais da área da construção civil, que prontamente nos ajudaram em um ano muito difícil.

Hoje, a diretoria que assume essa gestão, tem como meta vencer todas as barreiras administrativas mesmo em um cenário de crise sanitária, econômica e financeira. Também, buscaremos o crescimento do número de associados e a adimplência da anuidade, oferecendo serviços que facilitem a vida do médico. Como exemplo, criaremos um departamento gestor de convênios para clínicas privadas, instituiremos o SINAM com a outorga da AMB, celebraremos contratos com instituições financeiras para oferecer consórcios aos associados e ampliaremos o número de cursos, congressos e simpósios em parcerias com as Sociedades de Especialidades.

Caros colegas, nesse final de ano venho expressar o meu reconhecimento e minha solidariedade, em momentos tão difíceis de nossas vidas, elevando o meu respeito à importância do trabalho de todos. Desejo-lhes um profícuo Ano Novo e que Deus esteja sempre protegendo cada um de vocês e que na Ceia do Natal a harmonia, a paz e o amor nos renove na esperança de tempos melhores e que a luz do Filho de DEUS nos proteja em nossos trabalhos.

Marcelo Matos Cascudo
Presidente da AMRN